Últimas Notícias
Brasil

Desabafo: "Meu grande sonho é ser gente", diz mãe que foi presa após furto comida para alimentar filhos

Desesperada e em busca de comida para alimentar os cinco filhos, Rosângela Sibele acabou presa depois de ter furtado R$21,69 em dois refrigerantes, um refresco em pó e dois pacotes de miojo. Vivendo atrás das grades desde 29 de setembro, teve a soltura decretada na última quarta-feira (13), mesmo depois de ter tido o primeiro pedido negado pela Justiça.

Rosângela Sibele falou sobre sonhos e desabafou durante entrevista ao Datena | Reprodução/BAND

Agradecida pela mobilização que aconteceu do lado de fora durante esse período, a mulher de 41 anos conversou com o apresentador Datena durante entrevista ao Brasil Urgente logo após ter deixado a prisão. “Meu grande sonho é ser gente. Eu ainda não sei o que é isso, o que é ser mãe, filha, irmã”, desabafou. Atualmente, ela luta contra uma dependência química e revelou que está sendo acompanhada pelo Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

"Estou tomando medicação, indo no NA (Narcóticos Anônimos). Quero conversar com minha mãe, abraçar meus filhos, explicar isso. Quero pedir perdão à minha família", diz. "Entendi o que eu estava fazendo com minha família. Ninguém tem a obrigação de cuidar dos meus filhos, eu tenho. Por que fiz isso com elas? Quero pedir perdão e ir para uma clínica.”

A prisão de Rosângela foi revogada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Joel Ilan Paciornik que justificou sua decisão com base no valor subtraído (“menos de 2% do salário mínimo”) e considerando as condições da mulher: “com fome, desempregada e morando nas ruas há mais de dez anos”.

Desabafo

A mãe de cinco lembra ainda os acontecimentos angustiantes da prisão: desde o momento em que furta os objetos à chegada dos policiais chamados pela funcionária do estabelecimento. “Eu cheguei a mexer no miojo e no suco, mas, na verdade, o que eu coloquei na sacola foi uma lata de leite condensado e uma coca-cola de 600ml bem gelada. Na hora que eu estava saindo, a menina perguntou se eu não estava esquecendo nada. Eu estava entregando na mão dela, mas a viatura viu. Ela também chamou a viatura”, narra.

Com medo de ser presa, ela tentou fugir. “Eu estava com fome, enfatizei que estava com fome”, destaca. “Eu não queria [furtar], não estou acostumada, não queria fazer. Eu só estava com muita fome, que queria comer um miojo, estava doida para tomar um leite condensado e um refrigerante gelado. Não tenho dinheiro para isso”, desabafa.

Da Redação/Viva Notícias
Fonte: Dol



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário