Últimas Notícias
Brasil

'Questão técnica' leva FAB a trocar aeronave e atrasa voo que levará suprimentos e remédios ao Haiti

Uma "questão técnica" levou a Força Aérea Brasileira (FAB) a substituir a aeronave que saiu de Brasília neste domingo (22) para levar suprimentos, medicamentos e materiais de emergência para Porto Príncipe, capital do Haiti. O problema não foi detalhado.

© TV Brasil

A troca de avião foi feita na Base Aérea do Cachimbo, no Pará. A previsão inicial era de que a carga fosse entregue ainda neste domingo mas, com a mudança, a decolagem rumo ao Haiti foi adiada para a manhã desta segunda-feira (23).

A ajuda humanitária do governo brasileiro ocorre após o Haiti ser atingido por terremotos desde o último sábado (14), além de um ciclone tropical na segunda-feira (17). Mais de 2,2 mil pessoas morreram (saiba mais abaixo).

A aeronave KC0390 Millenium decolou de Brasília, na manhã deste domingo, com mais de sete toneladas de suprimentos para as populações atingidas no Haiti. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, participaram da partida.

No comunicado enviado à TV Globo, a FAB não explica qual problema foi detectado na primeira aeronave – diz apenas que a mudança ocorreu durante um "pouso técnico" e já programado na Base Aérea do Cachimbo.

“Por uma questão técnica, houve a necessidade da troca por outra aeronave do mesmo tipo, realizando-se a transposição da carga e dos passageiros naquela localidade”, afirma a nota.

A FAB acrescentou que a aeronave seguirá para Boa Vista (RR) ainda neste domingo. No entanto, o voo rumo a Porto Príncipe foi reprogramado para as 8h de segunda-feira.

O cronograma inicial, divulgado pelo Ministério da Defesa, previa o desembarque da carga em Porto Príncipe às 19h25 deste domingo – e a chegada da aeronave em Brasília às 8h20 da segunda.

Equipamentos e remédios

De acordo com o Ministério da Defesa, os equipamentos de emergência enviados ao Haiti são do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, de Minas Gerais e também da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP). Uma equipe de 32 militares também embarcou.

Já os medicamentos e insumos estratégicos são uma doação do Ministério da Saúde. A colaboração inclui macas, colares cervicais e biombos. Segundo o governo federal, a quantidade é suficiente para atender até dez mil pessoas.

Terremoto

No último sábado (14), o Haiti sofreu um terremoto de magnitude 7.2, maior que o registrado no terremoto há 11 anos, que teve intensidade 7 e matou mais de 200 mil pessoas.

O epicentro do fenômeno estava no sudoeste do país, na ponta da península Tiburon, cerca de 130 mil pessoas vivem na área. Ao todo, 2,8 mil edificações ficaram destruídas e outras 5, 4 mil danificadas.

No domingo (15), outro tremor atingiu o país, desta vez de magnitude 5,9. Já na quarta-feira (18), houve mais um, de magnitude 4,9.

Ainda nesta semana, na noite de segunda-feira (16), o Haiti foi atingido pelo ciclone tropical Grace, que levou fortes chuvas e rajadas de vento de até 75 km/h ao Haiti. A região sudoeste do país, a que mais sofreu com o terremoto, foi justamente a mais atingida pelo ciclone. 

Da Redação/Viva Notícias
Fonte: g1



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário