Últimas Notícias
Brasil

Governo do Estado apresenta plano de retomada das aulas presenciais nesta sexta (23)

O plano de retomada das aulas presenciais no Pará deve ser apresentado nesta sexta-feira (23), pelo Governo do Estado. O anúncio foi feito pelo governador Helder Barbalho (MDB) na última segunda-feira (19), com poucos detalhes. A previsão é de retorno no dia 2 de agosto. As aulas estão suspensas desde o começo da pandemia da covid-19, em março de 2020.

Alex Ribeiro / Arquivo Agência Pará

Para o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), a melhor estratégia é retorno das aulas seria em setembro, já com segundas doses de vacinas aplicadas aos servidores do segmento. No dia 6 de agosto, já após a apresentação do plano, o Sintepp fará uma assembleia geral dos profissionais de educação. Nesse encontro, vão tirar posicionamento sobre o retorno presencial, o que poderá, inclusive, prosperar para uma manifestação da categoria dependendo das negociações entre as partes. 

"Não somos contra o retorno das aulas presenciais, mas que ele possa ocorrer somente depois da imunização dos profissionais com a segunda dose da vacina. A grande maioria deles vai receber essa segunda dose no final de agosto, e, então, em setembro estará tudo certo para as aulas", afirma Sílvia Letícia da Luz, coordenadora geral do Sintepp Belém e integrante da coordenação estadual do Sintepp.

No final de junho, como pontua Sívia Letícia, o Ministério Público do Pará (MPPA) chegou a se reunir com o Sintepp, Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Conselho Estadual de Educação (CEE), a Procuradoria Geral do Estado e as secretarias de Saúde do Pará (Sespa) e de Belém (Sesma). No encontro, foi abordado o retorno das aulas presenciais e, como destaca a dirigente sindical da educação, a Seduc apresentou um plano de retorno.

A expectativa é de que o retorno deve se dar de forma escalonada, gradual, após a imunização completa dos profissionais de Educação, como professores, coordenadores pedagógicos e servidores em geral. O sindicato também condiciona o retorno às aulas presenciais a um perfil epidemiológico favorável, sem elevação de casos e óbitos por covid-19 e garantia de estrutura de higiene, proteção e distanciamento.

Da Redação/Viva Notícias
Fonte: O liberal



« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário